A segurança na Escola Juracy Cardoso Viana foi a pauta central de uma reunião ocorrida na manhã desta terça-feira (7) do vice-prefeito Paulo Jovanio e demais lideranças de segmentos do município com educadores e pais de alunos da instituição de ensino.

Representando profissionais da educação no encontro, a professora Marlúcia Lima apresentou uma relação de reivindicações e diferentes temas ligados à segurança a serem abordados na reunião.

O objetivo foi debater soluções para reduzir ações violentas na escola. De acordo com relatos, recentemente um aluno teria entrado nas dependências da instituição portando simulacros, que são imitações de armas de fogo.

Em seu pronunciamento, Paulo Jovanio revelou que a atual administração municipal tem se empenhado para sensibilizar o governo do Estado sobre ceder às solicitações do município, como aumento do efetivo de policiais militares e civis na cidade, retorno do sistema de videomonitoramento, dentre outras.

“A preocupação com a segurança é generalizada. Está em todos os lugares. Infelizmente, policiais, por exemplo, não são como alimentos numa prateleira, que podemos apanhar quando precisamos. Temos de pedir. E depende do Estado ceder. Arnóbio vive cobrando medidas do governo para melhorar o combate à violência em Pinheiros, afinal, ninguém quer que seu município esteja entre os mais violentos”, ressaltou Paulo Jovanio.

O vice-prefeito ainda anunciou que irá se reunir mais uma vez com o secretário de Estado da Segurança, Antonio Roberto Cesario de Sá, nos próximos dias e vai voltar a apresentar os requerimentos.

Um novo encontro foi marcado para os participantes concluam os debates. Será na próxima quarta-feira (14), na Câmara Municipal, às 19 horas.

Além de Paulo Jovanio, educadores e pais de alunos, participaram da reunião a secretária de Cultura, Esporte, Educação e Turismo, Marinete Zamprogno, os vereadores Cleomar de Souza e Welton Paiva, o comandante da 2ª Companhia do 2º Batalhão, tenente Rangel, o presidente do Conselho Municipal de Segurança, Julio Cesar Monteiro, o diretor da escola, Jason Coqueiro, o pastor Nilson de Jesus e representantes da sociedade civil.