É de um competidor de Pinheiros o título de vencedor do 1º Concurso de Qualidade de Café Conilon. O produtor rural Allan Caliman, do Córrego Santo Antônio, localizado no interior do município, ficou em primeiro lugar na disputa, com 78,2 pontos. O concurso aconteceu durante a 1ª Semana Agropecuária de Pinheiros e Região, de 30 de julho a 4 de agosto.

O cafeicultor de Pedro Canário, Evandro de Oliveira Silva, conquistou a segunda posição, com 77,6 pontos. Outros seis produtores de Pinheiros ficaram entre os dez primeiros colocados: em terceiro, Miguel Ângelo Schumacher (76,8); em quarto, Ismael Orletti (74).

Em quinto, ficou Vagner José Padovan (73,4); em sexto, Josilene Cordeiro Orletti (72,4); em oitavo, Wilson Tótola (69,2); e em nono, Heitor Neri Orletti (68,5). Completam a lista dos competidores que cultivam os melhores cafés Thiago Viguini Febres, de São Mateus, e Gilmar Orletti, de Boa Esperança.

Podiam concorrer agricultores de São Mateus, Conceição da Barra, Pedro Canário, Montanha, Ponto Belo, Mucurici, Boa Esperança e Pinheiros que produzirem café conilon na safra de 2018/19 cujas áreas cultivadas estejam localizadas nos municípios mencionados.

Premiações

Os dez primeiros colocados receberam certificado de participação e têm comercialização garantida pela empresa Robusta Coffe, de acordo interesse do participante. Já os quatro primeiros receberam premiações em dinheiro: o primeiro lugar ganhou R$ 4 mil; o segundo levou R$ 3 mil; o terceiro colocado ganhou R$ 2 mil; e o quarto, R$ 1 mil.

Processo de avaliação

O processo de avaliação das amostras concorrentes foi realizado na Unidade de Referência em Qualidade de Cafés, em Linhares. Foram provadas as 22 amostras codificadas de cafés inscritos em duas rodadas, seguindo o protocolo Specialty Coffee Association (SCA) para avaliação de robustas finos.

A primeira rodada contou com 12 amostras. Na segunda, dez amostras. Ainda seguindo o protocolo, as amostras que apresentavam defeitos graves foram pontuadas com valor mínimo de 60 pontos. As demais amostras, que não apresentavam defeitos graves, foram avaliadas e pontuadas numa escala de 0,25 pontos, a partir de 60 até 100 pontos.

Já no campo sensorial, quando os cafés são degustados, as amostras que ficaram em primeiro e segundo lugares são de cafés limpos, equilibrados, com baixa acidez, baixo amargor e bom nível de doçura. Enquanto nas outras porções foi percebido pelos provadores níveis de amargor acentuado, doçura baixo e acidez baixa.

Ainda de acordo com relato do responsável da equipe de avaliação, Jonas Orletti, o nível de equilíbrio e uniformidade foram os diferenciais das para os resultados.

Cafeicultura em Pinheiros

Neste ano, 7,5 mil hectares do território pinheirense foram destinados à produção de café, que irá movimentar de cerca de R$ 80 milhões. Cerca de 600 mil sacas foram colhidas na safra de 2019.