Foi publicado no diário oficial do estado o resultado da participação dos municípios ano base 2015.

E Pinheiros aumentou seu índice de 0,633 para 0,639%, o que equivale um valor aproximadamente de R$ 40 a 50 mil reais aos cofres do município.

Lembrando que esse valor depende da receita do estado por isso os números não são exatos.

Esse aumento se deve ao trabalho realizado pela secretaria de administração e finanças no setor de tributação-NAC através de Zilmar e Equipe e o PROMET (Programa de Educação Tributária) com a Campanha CIDADÃO NOTA 10 desempenhou um trabalho de incentivo aos produtores e comerciantes a tirarem suas notas fiscais bem como a população a exigirem as notas fiscais.

“Esse trabalho foi desenvolvido com nossa equipe para incentivarmos os comerciantes, agricultores e produtores rurais para tirarem suas notas fiscais e a população a exigirem também suas notas.

Pois assim aumentando a participação no IPM ( Índice de Participação dos Municípios), aumenta também o repasse do estado, para investimentos em áreas de prioridade como saúde, educação, saneamento, dentre outras que também fazem parte do bem estar da população. “

O prefeito Antonio Carlos Machado, o Antonio da EMATER também ressaltou a importância do trabalho desenvolvido pela equipe de Tributacao-NAC.

“Esse trabalho desenvolvido pela secretaria de administração e finanças através do setor de tributação-NAC nos deixa muito feliz, porque ao terminar um segundo mandato, e nós olharmos a crise econômica que vive nosso país, e agente através de muito empenho conseguirmos transmitir o município para o próximo governante com um aumento significativo no índice de participação e muito gratificante pois nosso administração sempre esteve voltada para o desenvolvimento da nossa cidade.”

O índice de participação dos municípios é calculado no produto da receita do imposto sobre operações relativas a circulação de mercadorias e sobre prestação de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação -ICMS.

Esses valores irão vigorar a partir de 1° de janeiro 2017.