Prefeitura de Pinheiros inicia reforma de escola na próxima semana

A Prefeitura de Pinheiros inicia, na próxima segunda-feira (3), a reforma da Escola Governador Carlos Lindemberg. Essa será a segunda etapa do projeto de modernização da infraestrutura da instituição pública de ensino. A primeira fase foi concluída em maio deste ano, com a instalação da grade de proteção.

A reforma prevê a substituição de janelas de madeira por peças de alumínio e vidro, novo portão lateral, repintura de paredes, divisão de boxes dos banheiros com mármore, portas novas e instalação de forro na cozinha.

Além da reforma, a escola também terá as salas de aula climatizadas. Os aparelhos de ar-condicionado já foram instalados. Só faltam alguns ajustes de detalhes técnicos para a ativação, que deve ocorrer no início do ano letivo de 2019.

O diretor da Lindemberg, Aílton Balbino, comemora o início das obras e a transformação da escola, que, de acordo com o educador, terá padrão de instituições privadas de ensino. “A Governador Carlos Lindemberg será uma escola pública de padrão particular”, disse.

A secretária de Educação, Esportes, Turismo, Cultura e Lazer, Marinete Zamprogno, elenca alguns benefícios propiciados pela instalação da grade, reforma e climatização das salas de aula.

“A grade era uma necessidade urgente, uma medida de segurança e a favor do foco no aprendizado. A climatização irá gerar mais conforto e, consequentemente, deverá melhorar o desempenho dos estudantes. Existem experiências que comprovam isso. A reforma, enfim, faz parte da política de investimento em educação e da renovação infraestrutural de escolas do município, promovida pela atual gestão municipal. Estamos felizes por ver esse projeto saindo do papel”, ressalta a secretária.

Grade de proteção

Aílton considera a instalação da grade de proteção, na parte frontal da escola, como sendo uma medida de extrema importância para a segurança e o aprendizado dos alunos. O diretor relata como era o dia a dia da escola sem a grade.

“Com menos obstáculos para o acesso à parte interna, pessoas de fora tiravam a atenção dos estudantes durante as aulas. À noite, havia prática de atos libidinosos e consumo de drogas no local”.

A instalação do aparato foi reinvidicada por moradores, alunos, professores e pelo próprio diretor.