“Temos registrado muitos casos de H1N1 aqui, na nossa região. E esse vírus pode levar à morte”. O alerta é da coordenadora de imunização da Prefeitura de Pinheiros, Marinalva Dias Cruz.

A preocupação com esse tipo mais agressivo da gripe surge com o resultado parcial da vacinação contra a doença em Pinheiros, que é de pouco mais de 50%, o que corresponde a cerca de 3.260 pessoas. A vacina oferecida nas unidades de saúde do município imuniza contra os tipos de vírus H1N1, H3N2 e B.

De acordo com especialistas, o motivo para o baixo índice de imunização são informações baseadas em teorias conspiratórias difundidas na internet e pelo “boca-a-boca”, que acabam convencendo muita gente, apesar de não apresentarem nenhum dado técnico que as sustente.

Já profissionais da saúde recomendam que todos tomem a vacina contra a gripe, pois entre 70% e 80% das crianças que morreram em razão desses vírus (H1N1, H3N2 e B) não haviam sido imunizadas.

“A população que ainda não se vacinou pode ficar tranquila porque o objetivo da vacina contra a gripe é melhorar o quadro de saúde de todos, principalmente o de crianças e idosos, e não piorar”, informou Marinalva.

A coordenadora de imunização completa: “Há registros de muitos casos de H1N1 nesta região, principalmente em Pedro Canário e no Sul da Bahia. Tenho visto muitos casos chegarem ao Hospital Roberto Silvares com diagnósticos confirmados. Essa doença pode levar à morte”, revela Marinalva.

Marinalva ressalta que a equipe de vacinação tem se empenhado firmemente para aumentar o índice de imunização e acredita que a taxa vai evoluir até o último dia da campanha, que termina no dia 31 deste mês.

SERVIÇO

Campanha de vacinação contra a gripe

Data: até o dia 31 de maio

Locais e horários: Postos de Saúde dos bairros Vila Nova (de 7 às 14 horas), Galileia (de 7 às 11 horas – de 13 às 16 horas) e do distrito de São João do Sobrado (a partir das 8 horas – sem horário fixo de encerramento do expediente)

Documentos necessários: documentos pessoais (como identidade, por exemplo), cartão do SUS e cartão de vacina

Quem deve receber a vacina:

* Indivíduos com mais de 60 anos

* Crianças de 6 meses até 6 anos incompletos (5 anos, 11 meses e 29 dias de idade)

* Gestantes

* Mulheres que tiveram um filho nos últimos 45 dias (puérperas)

* Trabalhadores da área da saúde

* Professores de escolas públicas e privadas

* Povos indígenas

* Portadores de doenças crônicas e outras condições clínicas (leia mais abaixo)

* Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas

* População privada de liberdade

* Funcionários do sistema prisional

Lista de dúvidas frequentes e respostas publicada pelo Instituto Fiocruz

A vacina da gripe imuniza também para o resfriado?

Não. A vacina da gripe imuniza somente contra os vírus que causam a gripe.

Quais vacinas existem contra a gripe?

Existem as vacinas trivalente e a quadrivalente. No Brasil, temos na rede privada a quadrivalente, que possui dois subtipos do vírus Influenza – dois subtipos A, normalmente H1N1 e o vírus da gripe sazonal (H3N2) e dois subtipos B que dependem do vírus circulante no ano anterior. Já a vacina distribuída na rede pública é a vacina trivalente, que possui os dois tipos da Influenza A (H1N1 e o H3N2) e um vírus da Influenza B. A cepa adicional de Influenza B é o que a diferencia da quadrivalente, no entanto, como praticamente não existe a circulação dessa cepa no Brasil, não é obrigatória a vacinação nas clínicas privadas.

Quem tomou a vacina em 2018 precisa tomar em 2019?

Sim, pois conforme o tempo após a vacina passa, os anticorpos para os vírus vão diminuindo, sendo necessário reforçar, novamente, o sistema imunológico através da vacina. E há ainda os casos em que os vírus foram modificados de acordo com a maior incidência dos mesmos no ano anterior.

Quem está com febre e/ou tomando antibiótico pode tomar a vacina?

Se a febre for alta, recomenda-se que as pessoas aguardem a resolução do processo para receber a vacina. Já para os que estão fazendo uso de antibióticos, não há problemas em fazer a vacina.

Quais as contraindicações?

As contraindicações mais comuns são as reações anafiláticas e reações alérgicas gravíssimas, quando a vacina já foi aplicada anteriormente e apresentou tais reações.

A vacina da gripe dá gripe?

Não. É importante ressaltar que a vacina da gripe é feita de vírus inativados, ou seja, ela não transmite a doença. Ocorre que como a vacina é aplicada numa época em que há muitos vírus respiratórios circulando, as pessoas ficam mais doentes e atribuem os sintomas à vacina, mas certamente a doença que se manifestou foi provocada por outros vírus que não os contidos na vacina.

Quais os principais efeitos colaterais da vacina?

As chances de efeitos adversos a essa vacina são muito pequenas. As reações são bastante individuais, algumas pessoas podem apresentar dor e vermelhidão no local da aplicação, febre e mal estar.

Qual a importância da vacina da gripe?

A vacina da gripe é essencial para todas as pessoas acima de seis meses que não possuam contraindicação em recebê-la anualmente. Porém, para o público-alvo, é ainda mais importante, pois para essas pessoas as chances de complicações como consequência da infecção pelo vírus da gripe são muito mais frequentes.

Quais outros cuidados que podemos tomar para evitar a gripe?

Para evitar pegar doenças respiratórias, seja gripe ou resfriado, é bom sempre manter alguns hábitos de higiene como lavar as mãos, utilizar lenço descartável para limpar o nariz, não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas, manter os ambientes bem ventilados e evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe ou resfriado. É fundamental também cobrir o nariz ao tossir e espirrar. Mas não use a mão para isso. Cubra o rosto com área interna entre o braço e o antebraço, onde fica o cotovelo. Assim, você evita tocar em objetos com as mãos cheias de vírus que podem contaminar outras pessoas.