Aproximadamente 300 pessoas compareceram à reunião entre a comunidade de São João do Sobrado, Prefeitura de Pinheiros e a empresa Suzano, para debater o projeto de plantio de eucaliptos próximo a nascentes que abastecem o distrito e localidades adjacentes. Moradores apresentaram quatro reivindicações à Suzano e a empresa irá responder a exequibilidade das requisições em data ainda a ser marcada.

Com a adesão maciça, o ginásio poliesportivo do distrito ficou lotado. O vice-prefeito Paulo Jovanio, o vereador Iverlan Barbosa, demais lideranças locais, como o principal idealizador do movimento contrário ao plantio inadequado, WalasFazolo, e representantes da Suzano participaram do encontro, ocorrido na noite da última sexta-feira (13).

Na reunião, técnicos da empresa apresentaram o estudo de viabilidade do plantio, argumentando que o desenvolvimento da cultura na área próxima às nascentes está dentro das normas ambientais e que não deve causar impactos graves, como o definhamento dos mananciais de onde é captada a água que abastece a região.

Moradores e lideranças comunitárias questionaram, também, quais serão os resultados ambientais e para a agricultura depois que a terra for usada para o cultivo dos eucaliptos, além de temas sociais. No decorrer da reunião, um dos líderes do movimento, Carlos Filho, leu uma série de quatro reivindicações que a comunidade local faz à Suzano e à Câmara de Vereadores.

Moradores querem que a empresa desenvolva um projeto de reflorestamento das nascentes; que mantenha uma distância de mil metros entre plantações e nascentes; que construa uma barragem para armazenamento de água e; que a Câmara elabore um projeto de lei que limite o plantio de eucalipto às proximidades de mananciais.

“O que está acontecendo em São João do Sobrado hoje tenho certeza de que vai ser lembrado pelas gerações futuras: quando São João do Sobrado se uniu, se organizou para defender o seu povo, sua terra e sua família”, ressaltou Paulo Jovanio,

A Suzano se comprometeu a não continuar com o plantio de eucalipto enquanto a cúpula da empresa não der resposta sobre as requisições feitas pelos moradores. A empresa irá se manifestar nos próximos dias em uma nova reunião com data ainda a ser marcada.

Em razão de seu estado de saúde, o prefeito Arnóbio Pinheiro não pôde comparecer, mas afirmou que irá participar das próximas reuniões.