” Diversas escolas da Rede Municipal de Ensino juntamente com as entidades se concentraram na Praça Lacerda de Aguiar (Praça da Prefeitura), onde realizou várias ações de conscientização sobre a importância da luta em combate a Violência Sexual contra a Criança e o Adolescente”.

18 de maio é o Dia Nacional de Luta contra o Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data foi escolhida porque em 18 de maio de 1973 em Vitória, no Espírito Santo, um crime bárbaro chocou o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”.

Esse era o nome de uma menina de apenas 8 anos de idade que foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada por jovens de classe média alta daquela cidade.

” Durante a passeata teve distribuição de folders com informações sobre como combater o abuso e a exploração sexual de criança e adolescentes a toda população que acompanharam e assistiram a passeata”.

Com o objetivo de sensibilizar e mobilizar a comunidade sobre a importância do tema, a Prefeitura Municipal de Pinheiros por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social em parceria com o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Conselho Tutelar, CRÁS, Lions Clube, Copbem e COMDECA, realizou uma passeata no centro da cidade.

Diversas escolas da Rede Municipal de Ensino juntamente com as entidades se concentraram na Praça Lacerda de Aguiar (Praça da Prefeitura), onde realizou várias ações de conscientização sobre a importância da luta em combate a Violência Sexual contra a Criança e o Adolescente.

Ainda estiveram prestigiando o evento, o vice Prefeito Paulo Jovânio, os vereadores Edvan Alves, Welton Pezão e Anderson Enfermeiro e assessores de vereadores e funcionários da câmara de vereadores.

A banda musical Sol Maior do Copbem também se fez presente na passeata e puxou a caminhada.

” Com o objetivo de sensibilizar e mobilizar a comunidade sobre a importância do tema, a Prefeitura Municipal de Pinheiros por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social em parceria com o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Conselho Tutelar, CRAS, Lions Clube, Copbem e COMDECA, realizou uma passeata no centro da cidade”.

A passeata seguiu pela Avenida Setembrino Pelissari, passando pela Avenida Agenor Luiz Heringer, parando no Centro da Cidade até chegar de volta a Praça Lacerda de Aguiar.

” O vice prefeito Paulo Jovânio destacou a importância do evento e defendeu que a população deve combater esse mal diariamente. “Não devemos ter o Dia Nacional de Combate á Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, e, sim, todos os dias serem dedicados ao combate à exploração sexual das crianças que são o futuro de nossa Nação”, defendeu.

Durante a passeata teve distribuição de folders com informações sobre como combater o abuso e a exploração sexual de criança e adolescentes a toda população que acompanharam e assistiram a passeata.

A passeata chamou a atenção de toda população e dos comerciantes local que ficaram próximo a porta para acompanhar a caminhada.

“A intenção é destacar a data para mobilizar e convocar toda a sociedade a participar dessa luta de prevenção e combate à violência sexual contra crianças e adolescentes, pois ninguém está livre de ser atingido por essa situação. É preciso formar uma consciência nacional para denunciar e romper com esse ciclo de violência e proteger meninas, meninos”, enfatizou o prefeito Arnóbio Pinheiro.

O vice prefeito Paulo Jovânio destacou a importância do evento e defendeu que a população deve combater esse mal diariamente.

“Não devemos ter o Dia Nacional de Combate á Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, e, sim, todos os dias serem dedicados ao combate à exploração sexual das crianças que são o futuro de nossa Nação”, defendeu.

” O Lions Clube de Pinheiros também participou da caminhada e das ações de Combate a Violência Sexual Infantil”.

Por que 18 de maio?

Neste dia, em 1973, uma menina de 8 anos, de Vitória (ES), foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada. Seu corpo apareceu seis dias depois, carbonizado e os seus agressores nunca foram punidos.

Com a repercussão do caso, e forte mobilização do movimento em defesa dos direitos das crianças e adolescentes, 18 de maio foi instituído como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Desde então, esse se tornou o dia para que a população brasileira se una e se manifeste contra esse tipo de violência.

O que é violência sexual?

É a situação em que a criança ou o adolescente é usado para o prazer sexual de uma pessoa mais velha. Ou seja, qualquer ação de interesse sexual, consumado ou não.

É uma violação dos direitos sexuais das crianças e adolescentes, porque abusa ou explora do corpo e da sexualidade, seja pela força ou outra forma de coerção, ao envolver crianças e adolescentes em atividades sexuais impróprias à sua idade, ou ao seu desenvolvimento físico, psicológico e social.

Abuso x Exploração

A violência sexual pode ocorrer de duas formas distintas. Abuso sexual é qualquer forma de contato e interação sexual entre um adulto e uma criança ou adolescente, em que o adulto, que possui uma posição de autoridade ou poder, utiliza-se dessa condição para sua própria estimulação sexual, da criança ou adolescente, ou ainda de terceiros, podendo ocorrer com ou sem contato físico.

Já a exploração se caracteriza pela utilização sexual de crianças e adolescentes com a intenção de lucro, seja financeiro ou de qualquer outra espécie. São quatro formas em que ocorre a exploração sexual: em redes de prostituição, pornografia, redes de tráfico e turismo sexual.

Prevenção

A melhor maneira de se combater a violência sexual contra crianças e adolescentes é a prevenção. É necessário um trabalho informativo junto aos pais e responsáveis, a sensibilização da população em geral, e dos profissionais das áreas de educação e jurídica, com a identificação de crianças e adolescentes em situação de risco, e o acompanhamento da vítima e do agressor.

Denuncie

Além da prevenção, o combate a essa realidade exige que os casos sejam denunciados. Portanto, se souber de algum caso de violência sexual infantil, procure o conselho tutelar, delegacias especializadas, polícias militar, federal ou rodoviária e ligue para o Disque Denúncia Nacional, de número 100.
FOTOS E MATÉRIA: JUSCIMAR PEREIRA